19Setembro2019

NOTÍCIAS GERAL Os caminhos a serem percorridos no setor agroalimentar e a indústria do café até 2035

emdiacomunicacao.vcjasaiunamidia

Os caminhos a serem percorridos no setor agroalimentar e a indústria do café até 2035

Essa é uma etapa do projeto "Indústria 2035", programa de desenvolvimento para a indústria capixaba

Os-caminhos-a-serem-percorridos-no-setor-agroalimentar-e-a-indstria-do-caf-at-2035

Empresários, secretários de governo, deputados e representantes do setor agroalimentar e da indústria do café conheceram, nesta terça-feira (10), a Rota Estratégica para o Futuro da Indústria do Espírito Santo – Agroalimentar 2035, lançado pela Findes e coordenado pelo Ideies.

Leia também  >>   Governador recebe convite da XI Conferência Estadual dos Direitos das Crianças e dos Adolescentes

Neste documento estão reunidos os caminhos que o setor agroalimentar e a indústria do café - identificados como Setores Portadores do Futuro - deverão percorrer para se desenvolverem em toda a sua potencialidade.

Esta etapa faz parte do Indústria 2035, programa de desenvolvimento de longo prazo para a indústria capixaba, baseado em estudos econômicos e prospectiva estratégica para a identificação dos Setores Portadores de Futuro e a construção das Rotas Estratégicas Setoriais.

"Nossa principal crença é que com boas informações, com bons dados, com persistência, vamos avançar. Acreditamos que esse trabalho que apresentamos hoje vai ajudar o agronegócio a avançar, agregando valor, agregando densidade para as cadeias, fazendo com que os municípios onde essa atividade econômica está presente usufruam desse crescimento", afirmou o presidente Léo de Castro.

Leia também  >>   Banestes reduz juros e amplia prazo de financiamento para imóveis

Importância do setor

Para a construção desta Rota Estratégica foram ouvidos 65 especialistas do setor Agroalimentar, entre eles empresários, representantes de governo e acadêmicos. Este setor capitaneia a primeira Rota Estratégica devido a sua importância para economia do estado, já que foi o pioneiro na promoção do desenvolvimento de uma base econômica no Espírito Santo e até hoje contribui ativamente para a geração de renda e emprego.

"O setor agroalimentar possui unidades produtivas em todos os municípios e gera emprego em todo o Estado. Quando fazemos uma política de desenvolvimento desse setor, atingimos todo o Espírito Santo", destacou o economista-chefe do Sistema Findes e diretor executivo do Ideies, Marcelo Saintive.

De acordo com os últimos dados disponíveis, existem 9.035 estabelecimentos agroalimentares no Espírito Santo, empregando 65.336 trabalhadores. Presente nos 78 municípios do Estado, o setor representa a principal atividade econômica em muitos deles. Em 2017, o valor da produção agrícola foi de R$ 5,4 bilhões e essa indústria transformou um valor de R$ 2,6 bilhões. O setor abastece tanto o mercado capixaba como outros estados e exportou 695 milhões de dólares americanos em 2018.

Leia também  >>   Bandes se habilita para ser repassador de recursos do FGTS

Embora represente uma pequena parte da área de colheita do Brasil, o Espírito Santo se destaca nacionalmente em diversos produtos. O estado é o segundo maior produtor de café, de pimenta-do-reino e de mamão; o terceiro maior produtor de cacau; o quarto maior produtor de ovos; e o oitavo maior produtor de banana.

Traçando a Rota

Para aprofundar o conhecimento sobre o setor e fornecer subsídios para a elaboração da Rota Estratégica Setorial Agroalimentar no Espírito Santo, o Ideies elaborou um estudo econômico para esse segmento. O documento aborda tendências sobre o setor no mundo, no Brasil e no Espírito Santo, contendo estatísticas tais como: produção agrícola e industrial; empregos; empresas; e comércio exterior.

"Devido ao crescimento da população, este é um setor que tem um crescimento com bastante vigor nos próximos anos em todo mundo. Desenvolvemos um estudo baseado nas tendências mundiais, do Brasil e também do Espírito Santo, onde demos um destaque maior e trazemos muitos dados", frisou Saintive, ao apresentar o estudo econômico do setor que foi a base de análise para construir a rota estratégica.

Leia também  >>   Linhares lidera no Estado e o 3º do Brasil na produção de café

Metodologia

O horizonte temporal 2035 marca a história do Estado devido à comemoração de 500 anos da Colonização do Solo Espírito-Santense. A data se consolida como uma oportunidade de promover reflexões aprofundadas acerca dos mercados globais, da produtividade, das tendências tecnológicas, da sustentabilidade e da inovação. Nesse contexto, pensar e planejar o futuro torna-se uma atividade inexorável para o desenvolvimento empresarial e consequente progresso dos territórios.

A primeira fase do Indústria 2035, nominada Setores Portadores de Futuro, identificou os setores, segmentos e áreas mais promissores para o desenvolvimento do Espírito Santo, por meio de um processo de inteligência coletiva, com a incorporação de conhecimentos de macrotendências setoriais e tendências tecnológicas. A segunda etapa prevê a construção de Rotas Estratégicas para cada setor identificado, utilizando a metodologia de painel com especialistas que selecionam as lacunas do setor e, em um processo conjunto, norteiam as ações estratégicas que precisam ser realizadas no horizonte até 2035, para contribuir com o crescimento econômico estadual.

Leia também  >>   Superlotação: Justiça pode liberar adolescentes infratores do Iases em Linhares

A metodologia selecionada para o projeto Rotas Estratégicas para o Futuro da Indústria do Espírito Santo 2035 é a Prospectiva Estratégica por meio do método Roadmapping. Os roadmaps, ou mapas do caminho, são representações gráficas simplificadas que comunicam de forma eficaz intenções estratégicas, com vistas a mobilizar, alinhar e coordenar esforços das partes envolvidas para atender a um ou a vários objetivos.

"Nosso primeiro objetivo é mostrar para onde queremos ir, a visão de futuro para o setor agroalimentar e a indústria do café, identificar as barreiras e os fatores críticos de sucesso para alcançar essas visões de futuro. Elaborar uma agenda convergente de ação. Essa rota é um grande plano de ação de desenvolvimento do setor. E identificar tendências e tecnologias-chave para a indústria do Espírito Santo. Nosso horizonte é até 2035, então é muito importante olhar as tendências e os novos comportamentos dos consumidores que vão impactar o desenvolvimento desse setor", explicou Silvia Varejão, gerente de estudos econômicos do Ideies e coordenadora do projeto.

O ponto de chegada do roadmap é a visão de futuro. O setor Agroalimentar estabeleceu como visão de futuro "Excelência em sistema agroalimentares sustentáveis, com produtos competitivos e de alto valor agregado" e a Indústria do Café "Referência Internacional na produção e transformação de café com origem e identidade do Espírito Santo para mercado diferenciados".

Com a finalização deste documento será iniciada a fase de articulação e execução das suas ações visando a construção do futuro desejado para o setor Agroalimentar e a Indústria do café do Estado do Espírito Santo até o ano de 2035.

Leia também  >>   Assembleia Legislativa do Espírito Santo moderniza estrutura de TI

Parceria

Para o desenvolvimento dos Setores Portadores de Futuro para o Estado do Espírito Santo 2035 e as Rotas Estratégicas para o Futuro da Indústria do Espírito Santo 2035, o Sistema Findes firmou uma parceria com o Sistema Federação das Indústrias do Estado do Paraná (Sistema Fiep), por meio do Observatório Sistema Fiep, que desenvolve estudos de futuro desde 2004.

Redação Portal Linhares Em Dia


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Se achar algo que viole os TERMOS DE USO, denuncie. Leia as PERGUNTAS MAIS FREQUENTES para saber o que é impróprio ou ilegal. 

Siga-nos no FacebookTwitter e YouTube.

Convidamos você a fazer parte dos nossos canais nas redes sociais e navegar pelo nosso Portal de notícias Linhares Em Dia.