22Julho2019

NOTÍCIAS GERAL Mulher chega a pesar 202 kg e emagrece 96 com aulas de dança

farmacias-de-plantao

Mulher chega a pesar 202 kg e emagrece 96 com aulas de dança

Após várias dietas e depois de desistir da cirurgia bariátrica, Carla Maria buscou na dança

Mulher-chega-a-pesar-202-kg-e-emagrece-96-com-aulas-de-dana

Carla Maria Pedro, de 27 anos, chegou a pesar 202 quilos. Inicialmente, ela cogitou fazer cirurgia bariátrica, mas desistiu. "Muita gente acha que a obesidade só tem solução com a cirurgia de redução de estômago. Não é só isso! A pessoa precisa primeiro reconhecer que precisa de ajuda, isso é fundamental", garante.

Carla encontrou outro estímulo para 'lutar contra a balança' e resolveu apostar na zumba como método para emagrecer. Resultado: 96 quilos a menos.

Leia também  >>     Petrobras divulga início de fase vinculante para venda da Liquigás

Ela disse que, desde a infância, se alimentou de forma errada. "Meus pais me deixavam muito à vontade e sempre tive acesso às besteiras, o que me levou àquele peso. Fui compulsiva e descontava na comida. Aos 14 anos, eu já pesava 126 quilos".

Na época, a mãe dela chegou a procurar nutricionistas e endocrinologistas, mas nunca conseguiu resultado. Nesse período, Carla soube da possibilidade de fazer a cirurgia de redução de estômago e acreditava que esse seria o caminho para o sucesso de seu emagrecimento.

Por conta da idade, os médicos recomendavam que Carla tentasse outros meios para emagrecer, o que a fez desistir da cirurgia. Devido ao preconceito que sofria na escola, Carla chegou a ser violenta para tentar parar as provocações, já que as reclamações para a direção do colégio não surtiam efeito.

A obesidade afetou tanto a vida de Carla, que chegou a comprometer os estudos e a vida social. Após o nascimento do primeiro filho, ela continuava com medo e evitava levar a criança à escola pois temia o julgamento dos outros pais e possíveis brincadeiras de mau gosto por conta de seu peso.

Com esse medo e incômodo, ela tentou novamente a cirurgia para a redução de estômago, e recorreu ao posto de saúde para ter o encaminhamento para a realização do procedimento, mas não obteve resposta.

Quando conseguiu um médico que a antedesse, ao realizar os exames pré-operatórios, Carla descobriu que estava grávida pela segunda vez e entrou em depressão, pois isso a impediria de realizar a cirurgia.

Após a gestação, em 2015, o peso aumentou e ela desistiu novamente de realizar a bariátrica. Algum tempo depois, descobriu que estava grávida pela terceira vez. Com todo o desgaste sofrido nas idas e vindas aos médicos, Carla acabou desistindo dos tratamentos.

Leia também  >>     Inverno deverá ser mais quente em três regiões do país, prevê Inmet

Os olhares e comentários que ela recebia por conta do peso a motivaram a querer mudar de vida. Aos poucos, Carla começou a realizar algumas atividades físicas, como caminhadas e exercícios ao ar livre oferecidos a idosos. O peso foi diminuindo e isso a motivava cada vez mais. Quando chegou aos 150 quilos, ela começou a desanimar novamente, pois o processo de perda de peso era complicado.

Foi então que ela ouviu falar da zumba, em setembro de 2018. Carla contou sua história para a professora e foi acolhida pela turma. "Nessa época, eu pesava 150 quilos e estava me isolando, mas a boa recepção me dava vontade de ir para as aulas. Eu temia ouvir comentários sobre o meu corpo, mas estava totalmente enganada", afirma.

A sensação de pertencimento foi determinante para Carla e, desde então, ela não parou de praticar a dança. "A zumba devolveu minha autoestima, eu consegui voltar a me olhar no espelho. Me devolveu a alegria de viver".

Carla conta que as duas aulas semanais fazem toda a diferença em sua vida agora. "Hoje eu sou uma pessoa realizada", garante. Hoje ela pesa 106 quilos e ainda está no processo de emagrecimento.

Agora, ela busca a cirurgia de reparação de pele. "São marcas de vitória".

Na aula de zumba, Carla levou uma calça que costumava usar quando pesava 202 quilos. A calça, de número 72, conseguiu abrigar ela e uma colega, uma em cada perna. O apoio da família, do marido e das colegas de dança a ajudaram a se manter confiante em todo o processo.

Leia também  >>     Atuação do Bandes reforça o desenvolvimento regional equilibrado

Hoje, ela se sente bem em levar suas crianças para a escola, socializar em festas e comparecer às reuniões dos filhos. Os exercícios, consequentemente, ajudaram Carla a mudar sua alimentação, ingerindo saladas e mais frutas. Ela aprendeu que não precisava restringir as comidas de que gosta, mas comer com moderação. "A zumba fez com que eu me redescobrisse".

Redação Portal Linhares Em Dia

Com Portal R7


SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.

Se achar algo que viole os TERMOS DE USO, denuncie. Leia as PERGUNTAS MAIS FREQUENTES para saber o que é impróprio ou ilegal. 

Siga-nos no FacebookTwitter e YouTube.

Convidamos você a fazer parte dos nossos canais nas redes sociais e navegar pelo nosso Portal de notícias Linhares Em Dia.