569 20/01/2021 às 18:31 - última atualização 20/01/2021 às 18:42

Produção de queijos é a segunda maior em agroindústrias do Espírito Santo

Redação Em Dia ES

A produção de queijos está entre as modalidades mais lucrativas para a agricultura familiar
Produção de queijos é a segunda maior em agroindústrias do Espírito Santo. Foto Divulgação Incaper
Queijos com adição de especiarias e ervas finas, com recheio de geleias de frutas, doce de leite e embutidos, ou até defumados, são algumas versões de queijos capixabas que demonstram a potencialidade do setor. Pesquisas elaboradas pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), entre 2018 e 2019, estimaram que o Estado conta com 360 agroindústrias familiares produtoras de queijos. É a segunda maior modalidade de agroindústria do Espírito Santo, logo após a de panificação.

Neste Dia Nacional do Queijo, há diversos motivos para celebrar a importância e o crescimento do setor. A produção de queijos está entre as modalidades mais lucrativas para a agricultura familiar, se mostrando cada vez mais como uma relevante fonte de renda para as famílias rurais capixabas. A atividade de agroindustrialização contribui com mais da metade da renda familiar para 62% dos produtores, chegando a 100% da renda para 20% dessas famílias.

A região sul, destaca-se na produção por apresentar 37% das agroindústrias instaladas. Segundo as pesquisas, estima-se que nos últimos cinco anos houve um aumento de 44% no número de pequenas agroindústrias produtoras de queijos, sendo que a metade dos empreendimentos instalados no Espírito Santo surgiu nos últimos 10 anos, conforme destacou a coordenadora técnica de Segurança Alimentar e Estruturação da Comercialização do Incaper, Rachel Quandt Dias.

O diagnóstico da agroindústria familiar realizado pelo Incaper em 2018 revelou que o principal canal de comercialização dos queijos é a venda direta, que ocorre na própria agroindústria, em lojas de agroturismo, feiras e eventos. A maior parte da produção (55%) é destinada ao consumo no próprio município. Com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19), no entanto, houve o aumento na modalidade de venda por encomendas, com entregas semanais em municípios vizinhos, mas principalmente em Vitória e Vila Velha. “Alguns produtores disseram que os pedidos de queijos aumentaram em até 100% durante o período”, completou Rachel Quandt Dias.

Tipos de queijos produzidos

O principal tipo de queijo produzido nas agroindústrias capixabas é o queijo minas, que junto do minas frescal e do minas padrão, representa 75% da produção. Os tipos minas frescal e minas padrão têm identidade e requisitos de qualidade definidos em regulamentos técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no entanto, a maioria dos queijos minas tradicionalmente produzidos pelas agroindústrias do Estado (82%) não se enquadra nessas categorias. 

Outros tipos de queijos tradicionais fabricados no Estado pelas agroindústrias e que não contam com legislação específica são a puína, semelhante à ricota; e o queijo käschimier, similar ao cottage, produzido nos municípios de Santa Maria de Jetibá, Afonso Cláudio, Laranja da Terra e Domingos Martins pelas comunidades alemã e pomerana. 

“Encontra-se em fase inicial de execução um projeto de pesquisa coordenado pela Seag, com equipe de profissionais do Incaper, Mapa e Ufes, com objetivos de caracterizar e desenvolver propostas de especificações técnicas para esses queijos tradicionais, além de avaliar os aspectos associados à agregação de valor e preservação do patrimônio histórico e cultural desses produtos, o que será de grande importância para a valorização da produção tradicional no meio rural capixaba”, informou Rachel Quandt Dias.
Nos últimos cinco anos, segundo pesquisa do Incaper, foi observado um crescimento de 20% na produção de outros tipos de queijos tais como muçarela, parmesão, coalho e queijos finos (especiais). Esses últimos são fabricados por queijarias especializadas na produção de queijos diferenciados, tanto frescos quanto de longa maturação, que estão instaladas principalmente nas Montanhas Capixabas e outras regiões de agroturismo. 

Entre as variedades de queijos que vêm ganhando destaque, estão as produzidas a partir dos leites de cabra e de búfala, cada vez mais apreciados pelos consumidores. A coordenadora técnica revelou ainda que os queijos capixabas têm sido destaque em alguns concursos nacionais e até mesmo em campeonatos mundiais de queijo, o que coloca o Espírito Santo no mapa nacional de queijos de qualidade.

Leite de qualidade é fundamental

Para a produção de um bom queijo, é necessário que o leite utilizado como matéria-prima seja de boa qualidade, conforme ressaltou a engenheira de alimentos do Incaper, Mariana Barboza Vinha. A maior parte dos agricultores (80%) utiliza somente o leite produzido em sua propriedade ou adquire até 50% do leite necessário para a fabricação dos queijos de propriedades vizinhas ou de regiões próximas. Apenas 12% das queijarias adquirem toda a matéria-prima de outras propriedades.

“Tanto a produção leiteira na propriedade quanto a aquisição de leite de terceiros devem ser controladas e monitoradas para garantir que a matéria-prima na fabricação dos queijos atenda aos padrões determinados pela legislação vigente. Assim, será possível ofertar ao consumidor um produto seguro e de boa qualidade”, frisou Mariana Barboza Vinha. 

Fonte: Incaper
 
 
 

Fique em dia

  1. 1

    1 - Cacau de Linhares é destaque no maior evento de chocolate do Brasil Cacau de Linhares é destaque no maior evento de chocolate do Brasil
  2. 2

    2 - Chuva: prejuízo estimado supera R$ 88 milhões na agropecuária capixaba Chuva: prejuízo estimado supera R$ 88 milhões na agropecuária capixaba
  3. 3

    3 - Idaf apresenta dados do Crédito Fundiário para Conselho de Desenvolvimento Rural Idaf apresenta dados do Crédito Fundiário para Conselho de Desenvolvimento Rural
  4. 4

    4 - Marcos Garcia defende implantação de centro de educação rural em Linhares Marcos Garcia defende implantação de centro de educação rural em Linhares
  5. 5

    5 - Ager promoverá Workshop sobe Segurança de Barragens no próximo dia 04 Ager promoverá Workshop sobe Segurança de Barragens no próximo dia 04
  6. 6

    6 - Cadela da PRF morre de parada cardíaca por causa de fogos após vitória do Flamengo Cadela da PRF morre de parada cardíaca por causa de fogos após vitória do Flamengo
 
 
 
 

Filme em Cartaz

 

BOLETIM

Receba nossas notícias por e-mail.

)
Logomarca