495 05/02/2021 às 07:01 - última atualização 05/02/2021 às 19:11

Café arábica do Caparaó conquista selo de Indicação Geográfica

Redação Em Dia ES

A Região do Caparaó abrange ainda os municípios mineiros de Espera Feliz, Caparaó, Alto Caparaó, Manhumirim, Alto Jequitibá e Martins Soares, onde os cafés produzidos também são contemplados com a IG de Denominação de Origem
Café arábica do Caparaó conquista selo de Indicação Geográfica. Foto: Reprodução / Governo ES
O café arábica produzido na Região do Caparaó conquistou o registro inédito de Indicação Geográfica (IG) na categoria de Denominação de Origem (DO) concedido pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). O café arábica em grãos verdes, industrializado na condição de torrado e/ou moído, produzidos nos municípios capixabas de Dores do Rio Preto, Divino de São Lourenço, Guaçuí, Alegre, Muniz Freire, Ibitirama, Iúna, Irupi, Ibatiba e São José do Calçado poderão receber o selo da IG.

A Região do Caparaó abrange ainda os municípios mineiros de Espera Feliz, Caparaó, Alto Caparaó, Manhumirim, Alto Jequitibá e Martins Soares, onde os cafés produzidos também são contemplados com a IG de Denominação de Origem.

O registro inédito do café do Caparaó comprova que o café arábica foi produzido na região, além de outros quesitos como a qualidade do café, o modo de produção familiar, a produção em sintonia com o meio ambiente, entre outras legislações definidas para a conquista da Indicação Geográfica. A publicação da IG foi realizada na Revista de Propriedade Industrial (RPI) do INPI, nessa terça-feira (02). O pedido de registro foi feito em março de 2019 pela Associação de Produtores de Cafés Especiais do Caparaó (APEC) e contou com a colaboração de um comitê gestor composto pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper) e diversas outras instituições.

De acordo com o INPI, a Indicação Geográfica se refere a produtos ou serviços que tenham uma origem geográfica específica. Seu registro reconhece reputação, qualidades e características que estão vinculadas ao local. No caso do café do Caparaó, a IG comunica ao mundo que a Região do Caparaó se especializou e tem capacidade de produzir o café arábica com diferenciação e excelência. A Denominação de Origem é uma das definições da IG e diz respeito ao nome geográfico da região, que designa o produto, cujas qualidades ou características se devam essencialmente ao meio, incluídos fatores naturais e humanos.

O extensionista do Escritório Local de Desenvolvimento Rural (ELDR) do Incaper de Guaçuí, Maxwell Assis, participou do processo de solicitação da IG para o café do Caparaó. O Incaper trabalha para a melhoria da qualidade do café arábica na Região do Caparaó há mais de 15 anos. O engenheiro agrícola explicou que “o reconhecimento da IG é uma conquista do trabalho construído por diversas mãos”, como a dos cafeicultores que compõem a APEC e outros parceiros institucionais e privados. A demanda pelo selo da IG, segundo o extensionista, nasceu pelos cafeicultores da Apec em 2014.

“Os cafés especiais produzidos no Caparaó têm qualidade diferenciada. São produzidos pela agricultura familiar, com respeito ao meio ambiente e diversos requisitos técnicos e selo abraça todas essas questões. Essa conquista é muito relevante e tem um caráter de diferenciação. Ressalto a importância de uma ação coletiva que nasceu na base dos cafeicultores", disse.

A  APEC é a instituição responsável pela emissão do selo de café do Caparaó para os cafeicultores da região. Um dos objetivos do registro é referendar os requisitos técnicos da produção do café arábica. As instituições como o Incaper fazem parte do conselho regulador, que irá atuar no pedido do selo, nos processos técnicos e em vistorias e auditorias nas propriedades para definir se os critérios técnicos de produção são atendidos.

“A conquista da IG para os cafés arábica produzidos na Região do Caparaó é um marco para o Espírito Santo e para a cafeicultura capixaba. É mais um reconhecimento da qualidade dos nossos cafés e do trabalho árduo dos cafeicultores para a produção de cafés especiais. Esse registro é ainda uma confirmação do trabalho exemplar do Incaper desempenhado há anos para o melhoramento do café no sul do Estado”, destacou o diretor-presidente do Incaper, Antônio Machado.

O secretário de Estado da Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca, Paulo Foletto falou sobre o importante momento para a cafeicultura capixaba. “O café do Caparaó mostra sua força e se diferencia de outras regiões do Brasil e do mundo. Prova disso é o reconhecimento através das premiações ao longo dos anos. É também a valorização do produtor rural que trabalha para melhorar cada vez mais a qualidade dos grãos”, pontuou o secretário.

Já o secretário de Estado de Turismo, Dorval Uliana, apontou a contribuição desse reconhecimento para o destaque do Espírito Santo no País e no mundo. “Um Estado com várias indicações geográficas é um Estado único. O IG para o café produzido no nosso Caparaó representa reconhecimento de características singulares contribuindo para a promoção e posicionamento do Espírito Santo no cenário nacional e internacional”, enfatizou Uliana.
 
 
 

Fique em dia

  1. 1

    1 - Cacau de Linhares é destaque no maior evento de chocolate do Brasil Cacau de Linhares é destaque no maior evento de chocolate do Brasil
  2. 2

    2 - Chuva: prejuízo estimado supera R$ 88 milhões na agropecuária capixaba Chuva: prejuízo estimado supera R$ 88 milhões na agropecuária capixaba
  3. 3

    3 - Idaf apresenta dados do Crédito Fundiário para Conselho de Desenvolvimento Rural Idaf apresenta dados do Crédito Fundiário para Conselho de Desenvolvimento Rural
  4. 4

    4 - Marcos Garcia defende implantação de centro de educação rural em Linhares Marcos Garcia defende implantação de centro de educação rural em Linhares
  5. 5

    5 - Ager promoverá Workshop sobe Segurança de Barragens no próximo dia 04 Ager promoverá Workshop sobe Segurança de Barragens no próximo dia 04
  6. 6

    6 - Cadela da PRF morre de parada cardíaca por causa de fogos após vitória do Flamengo Cadela da PRF morre de parada cardíaca por causa de fogos após vitória do Flamengo
 
 
 
 

Filme em Cartaz

 

BOLETIM

Receba nossas notícias por e-mail.

)
Logomarca