Joacles Costa

Por Joacles Costa

_Escritor capixaba. _Graduando em Letras Português/Espanhol pela UFES - Universidade Federal do Espírito Santo. _Membro efetivo da AJEL - Academia Jovem Espírito-Santense de Letras. _Assessor de imprensa. _Registro de Jornalista: 003675/ES. _INSTAGRAM: @joacles

Por Joacles Costa

_Escritor capixaba. _Graduando em Letras Português/Espanhol pela UFES - Universidade Federal do Espírito Santo. _Membro efetivo da AJEL - Academia Jovem Espírito-Santense de Letras. _Assessor de imprensa. _Registro de Jornalista: 003675/ES. _INSTAGRAM: @joacles

Coluna: Bumba | “O livro é considerando o melhor amigo do homem, razão pela qual é preciso ...”

De pseudônimo literário  Zulinni Bumba. A escritora angolana Madalena Suzete Paulo Manuel Bumba é nascida no Distrito da Ingombota, Zona mais nobre a capital de Luanda – Angla, no dia  18 de Dezembro de 1973.

Estudante do curso de Direito, Bumba dá palestras em eventos  escolares sobre leitura, educação e literatura infantil.  

Acompanhe a entrevista com Zulinni Bumba

Joacles Costa: Como foi sua infância? 
Zulinni Bumba: Tive uma infância vivida na província da Huila, que fica no Sul de Angola. Lá, morei com minha avó e minha família materna. Somente nos meus 11 anos é que fui conhecer a minha mãe verdadeira. Então ela me levou para conhecer o meu pai e meus irmãos mais novos em Kinshasa, capital da capital da República Democrática do Congo. Eles haviam se refugiado lá devido a guerra, não tinha condição de irem conosco na altura.  Aprendi muito ensinamentos religiosos na EBF- Escola Bíblica de Férias, onde me ensinavam a cantar, a representar e a declamar poemas do dia de natal, dia das mães, país e várias datas religiosas. Nós ficamos apenas um ano lá e regressamos no ano de 1988 para Angola.

Joacles Costa:  Quando você começou a se interessar por Literatura?
Zulinni Bumba: Na RDC - República Democrática do Congo, aprendi muito ensinamentos religiosos na EBF - Escola Bíblica de Férias, onde me ensinavam a cantar, a representar e a declamar poemas do dia de natal, dia das mães, país e várias datas religiosas.  Daí a literatura falou mais alto, pois o livro é considerando o melhor amigo do homem, razão pela qual é preciso unir esforços para que este estatuto continue. Nós ficamos apenas um ano lá e de regresso em 1988, fui continuando a fazer alguns poemas e em 1996, ganhei o primeiro Prêmio de Poesia da Rádio Satélite e Viana, município onde vivi mais de 25 anos em Luanda.

Joacles Costa: Quais são as suas maiores influências literárias?
Zulinni Bumba: As minhas maiores influências a nível da literatura infantil são: Cremilda de Lima e Maria Celestina Fernandes, duas grandes percursoras deste gênero no país.

Joacles Costa: Quais são os seus livros publicados?   
Zulinni Bumba: Cinco títulos foram editados pelo Ministério da Cultura de Angola, que são eles: Kambinda, 2013.  O Menino Kulombo, 2014.  O Menino Zola e as Flores,  2015.  A Roda da Amizade, 2015 e Despique na natureza, 2016.  O próximo será:  As Botinhas fofinhas da Totinha, uma obra de educação ambiental.  Também estou a escrever dois textos em prosa para adultos: Um Pouco Sobre Nós Mulheres, Recado Para os Homens.  Estes dois sairão em 2021. 

Joacles Costa: Como é a sua relação com o movimento cultural de Angola? 
Zulinni Bumba: Em 2004, participei da primeira antologia de jovens poetas e em 2003, em conjunto com os colegas da BJLA, declamei um poema de Luís Vaz de Camões na UEA - União dos Escritores Angolanos, para Sua Excelência Durão Barroso, na altura como Primeiro Ministro de Portugal, quando visitou Angola.    Em 2006, passei a representar a minha organização BJLA no CNJ - Conselho Nacional de Juventude, primeiro como Secretária para Educação e Cultura e depois como Vice-Presidente desta maior plataforma da juventude angolana. Mandato que durou até 2016.

Joacles Costa: Como foi sua experiência vivida em eventos literários? 
Zulinni Bumba: Em 2002 integrei a BJLA - Brigada Jovem de Literatura de Angola, onde aprendi muito sobre os verdadeiros fundamentos da literatura, a declamar com arte e a escrever de fato. Tenho tido boa promoção na imprensa, quer rádio, Tv, jornais onde sou convidada a abordar vários temas. Em 2012, participei das atividades da Rio+20 na cidade do Rio de Janeiro. Em 2019 participei do Prêmio Literário Jardim do Livro Infantil que é um evento anual que realiza-se em homenagem aos percursores da Literatura Infantil Angolana e visa incentivar a criação literária infanto-juvenil, bem como promover o surgimento de novos autores e obras neste domínio, sendo o maior galardão deste gênero no país e fui premiada com o livro O Aniversário do Rei Leão.  A minha primeira internacionalização foi em 2017, quando participei do 4 Congresso Internacional de Educação Ambiental da CPLP - Comunidade dos Países de Língua Portuguesa, cujo evento ocorreu na cidade de Santo António, na ilha do Príncipe – São Tomé e Príncipe e a abertura do Congresso foi feita pelo Presidente, o Excelentíssimo senhor Evaristo Carvalho. 

Título: Despique na natureza
Autor:  Zulinni Bumba


 
Despique na natureza, é uma obra divertida. Uma brincadeira que fiz com alguns componentes da natureza em que cada um queria ser o melhor, mas para tal cada um tinha que desfilar mostrando as suas qualidades para o efeito. A água, o ar, o solo, a árvore de embondeiro, a Palanca Negra gigante, a Welwitchia mirabilis, entraram na corrida, cada um achava que era o melhor diante do juri onde o Presidente foi o Rei Sol.

Idioma: Português
Encadernação: Brochura
Formato: 20cm x 27cm
Páginas: 30 páginas
Ano de edição: 2016
Edição:

Leitura Em Dia:
O que você está lendo?  Estou lendo a coleção infanto-juvenil da ANITA - Coleção portuguesa com vários títulos e que existe há mais de 20 anos.

Revisão de Texto: Max Maciel

O artigo publicado é de inteira responsabilidade exclusiva de seu autor e não representam as idéias ou opiniões do site EMDIAES.

Acompanhe todos os artigos do colunista Joacles Costa

Coluna: Kiusam | “A minha pele preta não me define, o racista não me define, as lutas não me definem ...

Coluna: Mattos | “A literatura e a arte de escrever são as formas mais acessível que temos.”

Coluna: CEI | “Agradeço a todas as poucas pessoas que leem meus textos com atenção e fazem críticas fundamentadas.”

Coluna: Grijó | “Sou escritor e professor de literatura de modo que a literatura é meu prazer”

Coluna: Sodré | “Aos 58 anos de idade, que me desafiam constantemente a pensar e repensar minhas escolhas.”

Coluna: Ribeiro | “Meus livros já tiveram altas tiragens, mas hoje, o mundo virtual sufocou a leitura de livros impressos.”

Coluna: J. Nunes | “A gente começa lendo a si próprio, ..., com pouco estamos tendo uma compreensão melhor da cidade e do mundo”

Coluna: Daflon | “Minha preocupação é a de escrever com a melhor qualidade possível”

Coluna: Gomes | “Abra todas as possibilidades de trabalho com a escrita.”

Coluna: Neves | "A missão é árdua como sobrevivência, mas nada é impossível."

Coluna: Machado | “Crítica literária” sempre foi de natureza jornalística.”

Coluna | Blank: “Um afago que ofereço aos leitores.”

Coluna | “Escrever é Preciso, escrever é uma forma de resistência.”

Coluna: “...Eu não diria que escolhi escrever ou fazer literatura. Na verdade, é a literatura que te escolhe..."

Coluna: “Literatura é uma educação familiar não muito difícil de se fazer, basta ser incentivada pela leitura”

Coluna: EDIÇÃO ESPECIAL com o ‘’Pai da Turma da Mônica’’ - Mauricio de sousa

Coluna: “O Único motivo que nos dá uma razão para escrever livros é a existência de leitores.”

Coluna: “O Que Faz o Escritor é a Escrita, a Publicação é Consequência.”

Fique em dia

Logomarca